Total de visualizações de página

terça-feira, 23 de dezembro de 2014


É preciso ser casca grossa.
É preciso ter casca grossa,
É preciso escolher: Eu os outros?
O melhor pra mim? ou o melhor para os outros?
O que eu penso? ou que os outros pensam?
Quem eu sou? ou que os outros acham  que sou?
Na frente ou atrás?
Meninos ou meninas?
Ter? meter? sofrer? emburrecer?  crescer? me capacitar? satisfazer... a quem? a mim? aos outros?

Essas são as minhas reflexões de ano novo.
nada de dietas, de metas inalcançáveis, de coisas que zuretram a cabeça.
Não quero mais nada disso.

Sinto muito aos interessados, ou desinteressados.
Minha lista de ano novo só tem eu.
Decidi que 2015 é meu.
E encaro com meus olhos de criança na boleia de um caminhão de mudança.

O que eu quero pra mim, o que é melhor pra mim, quem eu deixo na minha vida, quem eu tiro. O trabalho que eu quero fazer, com as pessoas que eu escolher( graças a deus e ao universo, posso fazer isso...), quem me faz rir, tá dentro.

Quem me faz chorar, me espezinha, me humilha, me arrebenta, que se exploda no universo.

Quem quiser fazer palhaçada na minha vida, que procure outro picadeiro, porque este aqui, está fechado, meu bem.


segunda-feira, 22 de dezembro de 2014



Final do ano sempre o mesmo blá blá blá

Dizem que é o  tempo da esperança, do amor e do perdão....
Onde essa gente encontra verdade nessas fabricações de verdades?
Tempo de esperança é sempre, tempo do amor é sempre , tempo do perdão, é sempre.
Sempre que necessário.
Sempre que preciso.
E sempre que descer goela abaixo.
A esperança nem sempre rola. Os dias de baixo astral são muitos, e são bons. O que não mata, fortalece.
O amor, pode virar desamor, ódio, ou sei lá mais o quê, depende do freguês.
O perdão... bem o perdão.. tem que fazer muita oração e muita penitência.
Não é fácil perdoar.
Tem que ter auto estima forte, pensamento firme e aptidão para levar a vida na mariola.
Tem que ter fígado, estômago, e dependendo do ocorrido e da pessoa envolvida na questão, perdoar, significa nunca mais olhar para a cara do dito(a)  cujo(a).
Simples assim.  
Portanto,  não me venham com mais dos mesmos.
O que eu quero mesmo é comer rabanada....