Total de visualizações de página

terça-feira, 23 de setembro de 2008

primavera



"Eu vou cuidar

eu cuidarei dele...

Eu vou cuidar do seu jardim...."(Titãs)

Eu adoro a primavera.Pode ser arroubo juvenil ou esquisitice de poeta.

Mas que a primavera tem um encanto especial, lá isso tem....

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

sobre a vida

(Zé Celso)

"Eu seria uma pessoa pobre se não fosse capaz de produzir histórias, de fazer da minha própria vida uma narrativa que posso emendar, apagar e enfeitar."

José Celso Martinez Corrêa

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

saudade

(foto:Gaenna)


Ela estava assim.Sentindo-se como éter.

Vontade de evaporar,sumir... desaparecer...

Senhora de idéias estranhas, sentia-se estranhamente sozinha

com a saudade apoderando-se dela como uma deusa vingativa.

Ela sentou e esperou para ver se algo de normal acontecia.

Se recebia um chamado.Um apelo.

Ela sentou e esperou para ver se recebia um legado. Um consolo.

Mas nada veio...

Fitando o vazio com os olhos lubrificados, deixava -se levar à um ponto sem

retorno.

E quanto mais fitava o vazio, mas dele se apoderava.

E a dor,que não tem fim, estava sempre ali, martelando sua estocada final.

E a saudade....

Ah! a enorme saudade dos que nada podem fazer a não ser esperar

continuava desgraçadamente a arder.

Á espera de um legado.um apelo.um consolo. um chamado.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

lourenço diaféria.

Mais um se foi: Lourenço Diaféria.

Foi empinar estrelas no céu.....

Era um dos que eu gostava muito...

Pena.

O mundo sempre fica mais triste,quando a gente perde um sonhador,um poeta,um escritor...

Alhos por bugalhos:

Hoje é o dia do anjo da música.

Vamos ouvir uma música bacana e pedir pra esse anjo abençoar nossa vida.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

debates dos candidatos a prefeitura do rio

Repassando o e-mail que a Juciara lá do Ibase me enviou.

Essa é pra quem mora no Rio e estiver a fim de ir ouvir as propostas dos candidatos a alcaides .

"Candidatos a prefeito do Rio debatem segurança pública com organizações da sociedade civil, dia 23 (terça-feira), 18hrs, no auditório da Cândido Mendes

Organizações sociais que lidam com o tema da cidadania farão perguntas a prefeituráveis do Rio em evento do Ibase e Cesec.

Acontece no próximo dia 23 (terça-feira), a partir de 18hrs, no auditório da Universidade Cândido Mendes (Rua da Assembléia, 10) o segundo debate sobre segurança pública entre os candidatos a prefeito do Rio (o primeiro foi no dia 11, no Sindicato dos Jornalistas). O evento, organizado pelo Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase) e o Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, da Universidade Cândido Mendes (Cesec/Ucam), contará com a participação de organizações da sociedade civil que lidam com o tema da cidadania, que farão perguntas aos candidatos. Confirmaram suas presenças Eduardo Paes (PMDB), Jandira Feghali (PC do B), Fernando Gabeira (PV), Alessandro Molon (PT) e Chico Alencar (Psol).

O encontro será uma oportunidade para os prefeituráveis do Rio apresentarem suas idéias sobre a questão da violência urbana e as políticas de segurança pública - apontada pela população como um dos principais problemas da cidade. A idéia é ampliar o conhecimento de cidadãos e cidadãs, permitindo-lhes uma análise crítica acerca das diferentes plataformas de governo.

Evento: debate “Violência, Segurança e Direitos Humanos” entre candidatos a prefeito do Rio e organizações da sociedade civil

Data: terça-feira, dia 23 de setembro

Local: Auditório da Universidade Cândido Mendes, Rua da Assembléia, 10, Subsolo (Centro)

Horário: a partir de 18 hrs

Entrada: livre

Organização: Ibase e Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec/UCAM)"




Rogério Jordão – imprensa@ibase.br – 2556-3095 – 9282-1441

o erotismo de drummond , bilac e castro alves

( tela de paul emile becat)

Eu adoro poesia erótica, acho lindo esse entrelaçamento entre a transgressão do sexo e a liberdade do sexo.
E até mesmo eu, já trilhei pelos caminhos do erotismo. E adorei a experiência.

É uma sedução escrever uma poesia erótica, e não fico nada admirada que Drummond  Bilac e Castro Alves também tenham sido seduzidos pelos rituais de Eros.

Porque não?

Porque não transgredir a ordem, censurar a crítica e trilhar a senda do proibido?

Fazer poesia é aventurar-se pelo mundo dos sentidos e das palavras.

A poesia de Drummond e  Bilac e Castro Alves. Indecorosas.Perversas. Eróticas. Deliciosas.


Sugar e ser sugado pelo amor


Carlos Drummond de Andrade

Sugar e ser sugado pelo amor
no mesmo instante boca milvalente
o corpo dois em um o gozo pleno
Que não pertence a mim nem te pertence
um gozo de fusão difusa transfusão
o lamber o chupar o ser chupado
no mesmo espasmo
é tudo boca boca boca boca
sessenta e nove vezes boquilíngua.


Sem que eu pedisse, fizeste-me a graça


C. D. de Andrade

Sem que eu pedisse, fizeste-me a graça
de magnificar meu membro.
Sem que eu esperasse, ficaste de joelhos
em posição devota.
O que passou não é passado morto.
Para sempre e um dia
o pênis recolhe a piedade osculante de tua boca.

Hoje não estás nem sei onde estarás,
na total impossibilidade de gesto e comunicação.
Não te vejo não te escuto não te aperto
mas tua boca está presente, adorando.

Adorando.

Nunca pensei ter entre as coxas um deus.


Delirio


Olavo Bilac

Nua, mas para o amor não cabe o pejo
Na minha a sua boca eu comprimia.
E, em frêmitos carnais, ela dizia:
Mais abaixo, meu bem, quero o teu beijo!
Na inconsciência bruta do meu desejo
Fremente, a minha boca obedecia,
E os seus seios, tão rígidos mordia,
Fazendo-a arrepiar em doce arpejo.
Em suspiros de gozos infinitos
Disse-me ela, ainda quase em grito:
Mais abaixo, meu bem! ? num frenesi.
No seu ventre pousei a minha boca,
Mais abaixo, meu bem! ? disse ela, louca,
Moralistas, perdoai! Obedeci…


Beijo Eterno

Castro alves

Diz tua boca: "Vem!"
"Inda mais!" diz a minha, a soluçar...Exclama
Todo o meu corpo que o teu corpo chama:
"Morde também!"
Ai! morde! que doce é a dor
Que me entra as carnes, e as tortura!
Beija mais! morde mais! que eu morra de ventura,
Morro por teu amor!

Ferve-me o sangue: acalma-o com teu beijo!
Beija-me assim!
O ouvido fecha ao rumor
Do mundo, e beija-me, querida!
Vive só para mim, só para a minha vida,
Só para o meu amor

domingo, 14 de setembro de 2008

Á casadoira, os feios.


Uma pesquisa comprovou aquilo que nós mulheres já estávamos carecas de saber, ou pela nossa intuição básica ou por experiência própria: Namorar aquele galã da rua,não é nada mole, e aquele feinho além de gente boa, dá pro gasto, é fiel e te coloca nos altares.

A disputa é grande e acirrada quando o homem é bonito,e o moço costuma sempre se achar o rei da cocada preta com aquele monte de mulher correndo atrás.

Well. Vamos à matéria.

"Cientistas americanos alegam ter descoberto o segredo de um casamento estável duradouro. A dica para as mulheres é: escolham maridos feios. De acordo com pesquisa realizada na Universidade do Tennessee, um relacionamento tem mais chances de dar certo a longo prazo quando o homem tem menos atributos de beleza do que sua esposa. Coordenado pelo professor James McNulty, o estudo chegou a esta conclusão por meio de uma avaliação de comportamento feita a partir de entrevistas com 80 casais. A explicação, publicada no Journal of Family Psychology, é de que “os homens mais bonitos que suas parceiras demonstraram tendência a oferecer menos apoio emocional e prático às suas mulheres. (...) Homens mais bonitos têm à disposição mais possibilidades de relacionamentos de curto prazo, o que os torna menos satisfeitos e comprometidos com o relacionamento”. Segundo o resultado da pesquisa, a atração física só é importante no início do namoro. Com o tempo, vai ganhando um papel secundário e acaba por perder grande parte da força.

Se o estudo estiver correto, o melhor a fazer – para quem deseja sucesso no matrimônio - é parar de correr atrás dos galãs e se contentar com aqueles pretendentes muito simpáticos, porém não tão belos. Supostamente, ao seguirem esse raciocínio, as mulheres teriam uma concorrência bem menos acirrada no chamado “mercado sentimental”. Mas aí, será que não perderia um pouco a graça? Para você, a beleza – ou a falta dela – deve influenciar a forma como nos relacionamos com o sexo oposto?"

Fonte: Vanessa Lima In Blog Marie Claire.

sutileza,pra que?


Esqueça a sutileza. Quando estiver apaixonada por um pretendente e decidir mostrar para ele o que sente, não mande mensagens subliminares. Nada de olhares fulminantes, abraços super apertados ou beijos mais perto da boca do que na bochecha quando for cumprimentá-lo. A melhor alternativa é dizer, com todas as letras, quais são suas intenções. Isso porque, de acordo com um estudo realizado na Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, os homens têm maior dificuldade para interpretar sinais não-verbais na paquera do que as mulheres. “As diferenças entre as percepções de intenção sexual entre homens e mulheres reforçam a idéia de que os homens confundem as intenções com mais freqüência do que as mulheres”, explicou o coordenador do estudo, Coreen Ferris.

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores reuniram um grupo de 280 estudantes, na faixa dos 20 anos, sendo a maioria do sexo masculino. Foram mostradas 300 imagens de pessoas, com expressões de amizade, tristeza, interesse sexual e rejeição aos estudantes, que tinham de identificar os gestos. 37% dos homens confundiram mais vezes sinais de interesse sexual com expressões de amizades, enquanto o índice do mesmo erro entre as mulheres foi de 31%. O estudo também demonstrou que 67% das mulheres avaliadas já foram mal-interpretadas por homens, que viram sinais de interesse, quando elas estavam apenas expressando amizade. E você? Já passou por uma situação assim?

Fonte:Vanessa Lima in Blog Marie Claire

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

programa eleitoral gratuito


Quer se divertir a valer?

Veja o Programa Eleitoral Gratuito dos vereadores do Rio e de Nova Iguaçu que passa na Band.

Tipo assim,você não acredita que algumas pessoas concorram para serem nossos representantes. Hilárias, cretinas, assustadoramente despreparadas....

Eu e minha irmã,quando crianças, também fomos iniciadas ao PEG pela minha tia Ely.

Foi ela a culpada de nosso senso de humor sarcástico.Nos ensinou a rir dos candidatos do MDB e da Arena, numa época em que isso era impensável.

O ritual passou aqui pra casa.As crianças simplesmente adoram! Elas tem um senso crítico afinado, e acredito realmente que assistindo a esse caos,estão aprendendo algo de bom para eles.

Eles aprendem a diferenciar as propostas sérias, das nefastas.

Não vamos jogar tudo no lixo: Ainda tem pessoas sérias querendo fazer política no Brasil.

Porém quero esclarecer que aqui em casa somos do Bem. Só que gostamos de nos divertir um pouquinho!

quinta-feira, 11 de setembro de 2008


Mantra do dia:

Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!Tudo o que eu quero eu vou conseguir!tudo o que eu quero eu vou conseguir!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

seleção no engenhão


Ontem eu estranhei o comercial convocando os cariocas à irem prestigiar a seleção no Engenhão.

Mesmo não sendo uma entendida no assunto, sei que é uma honra para qualquer estádio do mundo receber a seleção canarinho, até comentei com o Bi: Devem ser os últimos ingressos.E eu, que gostaria tanto de ir, pois nunca vi, em 40 anos, a seleção jogar ao vivo, perdi mais uma oportunidade.

E ainda aumentei: E vc, hein meu filho, poderia ver os fenômenos Ronaldinho e o Robinho jogando,já pensou que sensação?

Foi aí que eu devia ter desconfiado que as coisas realmente não andavam boas pra nossa seleção.

O Gabriel, 11 anos, flamenguista roxo,que assiste até futebol de várzea na tv fez um cara assim meio comeu e não gostou e respondeu com desprezo: - Tô nem aí, tô nem ái.....

Por isso hoje não me surpeeendi quando abri a coluna do Bruno Medina no G1 e descobri que dos 29 mil ingressos postos à venda, apenas 12 mil tinham sido vendidos.

Se eu soubesse tinha comprado o meu, mesmo pra ver esses pernas de pau jogando.

O estádio é o melhor lugar para exercitar o rol de palavrões aprendidos durante toda uma vida.

De repente, se conseguir uma companhia corro pro Engenhão. Pelo andar das chuteiras, o que não vai faltar nessa noite, é ingresso.

Alhos por Bugalhos;

Madonna bombando.

+ dois shows extras: Sampa e Rio.

Sucesso é isso.
O que eu não daria pra ir....

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

chico buarque de holanda


Não é de hoje que amo o Chico.

Amo-o desde a infância, quando sua figura de cabelos cacheados vestida com o uniforme completo do Fluminense enfeitava a porta do guarda roupa duplex da tia Marli.

Era só abrir a porta, e lá estava ele,com o sorriso lindo e os olhos verdes(Ou serão azuis?) mais bonitos do mundo.

O Chico estava ali, tão pertinho durante toda a minha infância.

Ano após ano,ele me via crescer.

Um dia, o papel da revista amarelou e eu realmente cresci.

Continuei a amá-lo com uma certa frieza dedicada a alguém,que mesmo me vendo trocar de roupa na sua frente por anos a fio, acompanhando o desenvolvimento dos meus seios, do meu corpo, da minha alma, que viu a minha transformação em mulher...foi-me incapaz de fazer um elogio fugaz...foi incapaz de me dedicar um instante da sua delicadeza...

Sim, passei a acompanhá-lo a uma distância dedicada aos ídolos da infância, semi-deuses de papel,pagãos silenciosos e deliciosos.

Anos desses, a Direct TV dez uma uma série maravilhosa que se tornou uma caixa de DVDs com entrevistas antigas, conversas deliciosas, cantorias infinitas...
Algo mexeu dentro de mim...Acompanhei a série com fidelidade canina.

Oh meu deus! Aquele homem de pele enrugada, andar apressado, corpo magro e sorriso misterioso era o mesmo homem, o mesmo homem sorridente que em encantava antes de dormir,que me vira cantar desafinada, que viu pranto, que viu meu riso como mero decalque de papel....

Tantos e tantos anos depois,meu filho mais velho de 12 anos na época,( hoje tem 15 completos) me pegou desprevenida.

Ouvia Beatriz.

Ah que encanto mágico ouvi-lo dizer amar o Chico.

Tudo tão natural....quanto acompanhar seus discos,filmes,livros, casamento, divórcio, filhos, netos, Carlinhos Brown, caminhadas no Leblon e etc...


Se tivesse mais um filho, Francisco seria. Francisco Bento.

Como bentos sãos seus lindos olhos azuis.Ou serão verdes?

E para completar o pacote, encontro isso:

"Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... isto é carência. Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar..... isto é saudade. Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos. ..isto é equilíbrio. Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... isto é um princípio da natureza. Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado..... isto é circunstância. Solidão é muito mais do que isto. Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma... "
Francisco Buarque de Holanda


Odeio "fãnatismos" mas penso com certa ambigüidade:Meu deus... esse homem... ele consegue ir nas entranhas de mim mesma...

Ah Chico!Pode parecer bobice de menina, mas algo me diz que vou te amar pra sempre...

buzios

Essas fotos eu tirei o inicio do ano quando fui repousar em Buzios, mais morta do que viva, no auge do desespero da depressão...
Resolvi postar. Catarse.

Posted by Picasa

 
Posted by Picasa


 
Posted by Picasa

 
Posted by Picasa


 
Posted by Picasa


 
Posted by Picasa


 
Posted by Picasa


 
Posted by Picasa


 
Posted by Picasa

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

buda


"Se fosse possível observar claramente o milagre de uma única flor, toda a nossa vida se transformaria."

Namastê...

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

sem roteiro

Bichinhos de Jardim em:

Blank


(Para ver numa melhor resolução, dá um clik, dá.....)


Estou assim:Sem roteiro.Sem eira, nem beira. Sem começo nem fim.


Fonte:http://www.bichinhosdejardim.com/
Não deixem de visitar esse site, é massa.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

penelope e odisseu



Eu fui convidada pelo pessoal do ABRACE que é um movimento literário poético para fazer parte de uma antologia sobre Mitos e Lendas Clássicos.

Me afundei até o pescoço de pesquisas, para ver se descobria alguma coisa legal e tive que colocar essa cachola oca pra funcionar.

Nas pesquisas, sempre me deparava com Penélope.
Não resisti.
Fiz esse conto, porque sou meio inconformada com essa história de amor e de espera infindável... algo muda dentro da gente, não adianta.
D. Neli minha mãe, diria que isso não é novidade nenhuma...


Penélope e Odisseu

Penélope caminhou novamente até o penhasco de onde podia olhar amplamente o mar.
Por onde andaria Odisseu?
Já havia se passado tantos anos desde que ele se fora mar à fora.
E ela ficara ali.
Sozinha.
Tendo que lidar com os afazeres da casa, com a criação do filho, com os cobradores, inimigos e ainda por cima com aquela corja de velhos e indefectíveis sábios querendo vê-la pelas costas a cada passo que dava.
Viviam lhe cobrando decisões que julgavam imprescindíveis, e migalhas de atenções pessoais.Ela não era ingênua, e oh! Como odiava tudo aquilo!
Sua condição de mulher sozinha instigava os homens à procura de tentações, pois ela mesma, não as tinha mais.

O tempo passava, e Penélope bem o sabia.
Há muito tempo havia perdido a beleza fresca, e com ela, os desejos carnais foram abrandados.

Agora nada mais eram que uma brisa fresca de verão.

Ansiava apenas por um homem: Odisseu.
Mas se ele não estivesse no reino profundo da morte,velando com Hades a eternidade, com certeza saciado de aventuras devia passar suas noites entre as pernas de uma vagabunda qualquer.

E ela ali...Tanto tempo...

Seu corpo bem o sabia.

Sentia falta das mãos de um homem, do toque suave em seus cabelos.

E por mais que tentasse, e que sua língua lhe cobrasse, ela não se lembrava mais do gosto de Odisseu.

Por onde andaria Odisseu?

Diante de seu intrépido futuro, Penélope aprendera a não temer a solidão.
Antes pelo contrário, acostumara-se a ela.
A lida do dia a dia foi modificando-a lentamente...
Estava mais forte, não tinha tempo para queixas.
As decisões não esperavam por dias melhores, resolver problemas, dar conta das coisas, era isso que todos esperavam dela.

Mas no fundo, sabia-se frustrada.

Era mulher e ansiava....

O que adiantava viver numa relação onde se estava sozinha?

Por onde andaria Odisseu?

Estaria vivo, morto? Quem sabe cego ou desmemoriado?

Seu sogro e a corja a que ele era subordinado queriam que ela escolhesse um novo marido.

O Estado não podia esperar mais.

Mas como cumprir com essa obrigação?Como poderia viver sem amor?

Como poderia viver ao lado de um homem que não fosse Odisseu?

Quando acabasse a mortalha de seu homem morto, ela então se casaria.

Com os olhos postos no horizonte, começou a tecer a mortalha com a manhã.

Nestas funestas horas, entendia que era preciso se casar novamente, era preciso acatar a decisão dos sábios anciões. Era preciso...

Mas quando a noite chegava, com desvairada loucura, negava a vida e a morte desfigurava a mortalha com ira de mulher ferida, sentia-se preterida, humilhada e então deixava cair sobre o colo, lágrimas amargas.

Rasgava pequenos pedaços do tecido como se fosse a carne morta de Odisseu....

Precisava ganhar tempo.
Por onde andaria Odisseu?

Quando sua farsa não foi mais possível, ela teve outra idéia.

Quem quisesse casar com ela, teria que ultrapassar com uma flecha vários machados enfileirados.

Um a um, muitos homens tentaram.
Nenhum entretanto conseguiu realizar a proeza.
Em seu intimo, Penélope regozijou-se.

Ninguém conseguiria essa façanha, porque apenas um homem seria capaz...

Por onde andaria Odisseu?

Muitos dias se passaram até que um pobre mendigo pediu para atirar a flecha nos machados.
Todos riram da tamanha ousadia.
Mas eis que o mendigo, na primeira tentativa conseguiu aquilo que vários homens tentaram em vão..
O coração de Penélope parou.

Odisseu!
O rei voltou! E naquela mesma noite foi dormir com sua esposa.

Foi então que Penélope descobriu-se dona de uma mágoa sem fim. O cheiro do corpo do seu homem não mais a agradou.

A mágoa borbulhava e antes que a manhã chegasse alcançou a borda.

Afinal, por onde andou Odisseu?

Ele a havia abandonado a própria sorte, roubou-lhe seus anos de juventude, tirou-lhe sua paz, sua alegria, roubou-lhe seu sorriso....

E o rei, acostumado a liberdade como o vento, sentiu-se tonto ao prever anos de rotina.

Fora um tolo ao voltar. Devia ter fincando sua âncora em alto mar.

Exasperou-se ao olhar para o lado. Será que Penélope lhe fora fiel?

A manhã colhia a imperfeição dos traços de sua esposa. Ela já não tinha a beleza que tanto o encantava.

E havia algo mais.Ela estava mudada.

Independente, já não obedecia como antes, calada já não ardia em seus braços.
Dona de um mistério insondável, em seus olhos, sua crítica o amaldiçoava .

Passara tantos anos deliciando-se com incontáveis aventuras nos mares e nos braços de tantas outras mulheres que já não era mais possível assentar em um só lugar, com um só coração.

Já não lhe era possível acatar tantas cobranças.

E quando tão logo terminou as guerras internas ocasionadas pela sua volta,Odisseu partiu para novas aventuras.

Penélope não foi se despedir dele no cais.

Já não lhe era possível acatar tanta submissão.

Que o rei partisse em paz.