Total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

...


Desde pequena que viajo de trem.
Saíamos de manhã bem cedo de Austin, onde morávamos, para Quintino, para passar o domingo na casa da minha vó.
O trem era daqueles japoneses antigos, meio cinzas, ou azul claros.Já nem me lembro mais,pois não é nada, não é nada, lá se vão anos de memória.
Mas para mim era tudo cor e som, muito som...
Me lembro que as portas do trem não fechavam e eu ficava morrendo de medo de cair no chão que passava rápido, bem rápido, e a gente só via mato e as pequenas casas coloridas.
Passava a viagem inteira agarrada ao meu pai.
A viagem, apesar de longa( o trem era parador) aos meus olhos, porém,era encantada. Tinha tanta coisa pra ver. Aliás,o trem é um espetáculo para crianças. Balas, picolés,artigos de todos os tipos. É um comércio mambenbe, muito legal. Eu adoro!
Mas diferente de hoje, nos trens da minha infância, viajavam, junto com os passageiros, bicicletas,gaiolas de passarinhos e até cachorros.
Aliás,todo morador da baixada fluminense tem uma experiência engraçada, diferente para contar desse meio de transporte.
A linha férrea corta as 13 cidades da baixada.
Separa as cidades em duas, com suas cancelas, ou com as extintas passagens que viraram enormes passarelas.
Todo morador da baixada anda de trem um dia na sua vida.
Eu ando de trem a muitos anos,é um meio de transporte rápido e seguro.
Até ontem.
Hoje, quando voltava do trabalho, passei no lugar do acidente que feriu mais de cem pessoas e matou 8.
Foi inevitável sentir um pavor gelado.
Os ferros retorcidos naquele lugar lúgubre e escuro davam um medo pavoroso.
Um trem é uma coisa enorme, e ele estava lá , todo lata retorcida...
Deu uma tristeza danada pelos mortos.
Será que vão abrir uma CPI?
Será que vão instaurar inquéritos para descobrir os culpados ?
Será que o assunto virára matéria do Jornal Nacional, até quando?
Será que vão descobrir que estava faltando alguma peça fundamental para o bom funcionamento do trem? e se descobrirem, será que vão apurar?
Ou será que esses mortos ficarão no limbo do esquecimemto como viviam à margem da vida?
Afinal, eram pobres, moradores da baixada fluminense, moradores dos Japeris, Queimados, Engenheiros Pedreiras da vida.
Eu e minha amiga Vera fizemos uma pequena oração aos mortos.
Que o barquinho os leve em paz.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Dias de Lagarta


Por certo que é preciso atualizar um blog todos os dias,porque senão, não tem razão de ser.
Mas e quando você adquire uma tremenda burcite no braço direito?
E quando a deprê bate violenta e você só tem vontade de ficar embaixo das cobertas?

Ora,ora estou assim.
Sem vontades, sem desejos a curto e médio prazos.

A longo, tenho muitos, viver é um deles.

Tenho lido bastante literatura infantil, mas estou sem interesses no atual momento.
Tenho lido bastante contos de assombração latino americanos e outros contos, e depois que fiz o simpósio de contação de histórias, estou preparando uns contos e histórias para dar uma trabalhada.
Mas tudo lentamente.
Estou vivendo dias de lagarta.
Esperando ansiosamente o dia de virar borboleta.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

O planeta pede sua ajuda! Mude o Clima!

A grande maioria das pessoas tem consciência sobre o aquecimento global. Muitos de nós sabemos o que está por vir e as conseqüências que a natureza e nós podemos sofrer.

Nossa campanha de clima precisa da sua ajuda para continuar exigindo do governo medidas efetivas como uma Política Nacional de Mudanças Climáticas!

O Brasil é o quarto maior emissor de gases do mundo. O principal fator que nos coloca nessa triste posição é o desmatamento de florestas como a Amazônia, que representam 70% das emissões.

Você pode fazer sua parte para que a mudança aconteça: troque suas lâmpadas incandescentes por lâmpadas econômicas, desligue seus aparelhos eletrônicos da tomada, nunca compre madeira ou móveis sem o certificado FSC e junte-se ao Greenpeace nessa luta.

Você pode fazer mais! Torne-se um colaborador do Greenpeace, mude o clima e ganhe uma camiseta da campanha.

www.greenpeace.org/brasil/

Palestra

No dia 29/Agosto, 4ª. feira às 19 h, o PROGRAMA DE REFLEXÕES E DEBATES PARA A CONSCIÊNCIA NEGRA realizará sua próxima palestra pública, com o tema SAÚDE.

"Cidadania e Controle Social de Políticas Públicas de Saúde: consciência individual e direitos coletivos"

O palestrante será

José Marmo

Secretário Executivo da Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde, Coordenador da Companhia da Saúde da Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS - ABIA /RJ, Coordenador do Projeto Participação da População Negra no Controle Social de Políticas Públicas de Saúde da ONG Criola/RJ, Membro do Comitê Técnico de Saúde da População Negra do Ministério da Saúde e Membro do Comitê Técnico do Programa Estratégico de Ações Afirmativas: População Negra e AIDS do Programa Nacional de DST/AIDS do Ministério da Saúde.


PROGRAMA DE REFLEXÕES E DEBATES PARA A CONSCIÊNCIA NEGRA

Coordenação Geral: Profa. Carla Lopes



Local: auditório do Colégio Estadual Professor Sousa da Silveira

Endereço: R. Amália s/no, Quintino Bocaiúva

Horário: 19 h
Telefone para informações: 2595-6209 (das 18:30 às 22 h)

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Parabéns pro meu Bi.


Hoje há dez anos atras nascia o recheio do meu sonho: Gabriel.
Durante o dia fiquei rememorando nosso primeiro encontro, e foram lembranças mavilhosas.
Seus olhinhos apertadinhos, seu sorriso de principe, minha vida e meu encanto.
Parabéns Bibo, Meu Bi, meu filhinho do coração.

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Bondade e etc...


Minhas duas gatinhas


Bajulo a mim mesma a fim de me perdoar.
Queria muito ter herdado de minha mãe, além do dom de contar histórias, a caridade espontânea que lhe é tão inata e verdadeira.
Bondade assim não existe mais. De todas as gentes que passaram pela minha vida, poucas vi como ela.
É caridosa porque nasceu assim.Chega quase a ser poética.
Vicentina por opção, os pobres da igreja quando a vêem só faltam beijar sua mão.
Dia desses, ela me contou com um ar meio encabulado que um rapaz, chegou perto dela e falou.- A senhora lembra de mim?
Ela nos seus oitenta anos, ficou com medo de dizer que não e o rapaz pensar que ela estava caduca.
_Mais ou menos. (Com certeza ela guardou essa omissão para depois contar para o padre. Porque minha mãe vive caçando pecados para comungar aos domingos. Sabe como é né? Pecar é estar vivo.)
_ Pois eu não esqueço a senhora. Numa natal desses da vida, eu tava desempregado e a senhora foi lá em casa com uma cesta de natal. Me lembro que tinha até um frango. Nossa, minha família ficou tão contente que choramos muito. Naquele dia a gente não tinha nada pra comer. Depois desse dia , a senhora com os mantimentos da igreja mantiveram minha família até que eu arranjasse um emprego
Uma ajuda dos céus.
Minha mãe deve ter lhe sorrido.
Um sorriso mais que simples.
Verdadeiro.
Um sorriso de quem ajuda, sem pensar no amanhã. Quiçá em coroas prometidas em outros céus.
Quando ela comentou comigo, podia-se ver o espanto escancarado em seu rosto.
- Nunca pensei na dimensão do que fazia.Nunca imaginei isso! Me senti meio enfermeira, sei lá.
Rimos gostosamente.
Minha mãe não tem jeito mesmo!
Uma das coisas mais lindas que vimos durante toda nossa infância e adolescência foi esse traço marcante no caráter de minha mãe.
Ela sempre foi um poço de bondade. Mas não um poço de água salobra, desses rasos, que não enche nem uma caçamba.
Minha mãe é um poço fundo, de água doce e pura.
Hoje em dia, as pessoas fazem mershandising de suas imensas bondades.
Minha mãe fez várias pessoas felizes, e isso era uma coisa normal, faz parte da sua vida, é inato em seu ser..
Para ela ajudar não merece nenhum crédito.
Compromisso de vicentina.
Compromisso de vida.
Talvez ela não consiga perceber o valor e a grandiosidade de seu gesto que se torna maior pelo seu total desprendimento aos elogios alheios.
Bondade não dá em árvore. Vem de berço. .


Porque nesses tempos de Criança esperança, é muito fácil fazer bondade com o dinheiro dos outros e depois descontar do I.R.

sábado, 18 de agosto de 2007

...



Essa semana meio que passou e eu não vi.
Me dediquei inteiramente a um novo projeto que será publicado pela Secretaria Municipal de Educação de Japeri sobre a lei 10.639/03.

Estou também com burcite e marido doente em casa.
Hoje inclusive tem uma matéria no Globo dizendo que as mulheres que tem marido,trabalham sete horas a mais que as outras que não tem.
Quer dizer, maridinhos dão trabalho!
E como!

Pra completar essa semana esquisita de muito trabalho e doenças, perdemos um amigo de acidente de moto.
bate uma deprê.

Na minha cabeça, a morte é como se fosse um barquinho.
Há os que vão fazer a travessia de maneira tortuosa, mas há outros, que vão apreciar a viagem.
Eu espero que meu amigo, esteja aproveitando a dele.

E o que resta pra gente que ficou são as lembranças, momentos passados juntos,sorrisos, brincadeiras e este amor tão intenso que a Famila Quintanilha sempre demonstrou àqueles que vivem ao seu redor.

O que sobra pra gente mesmo é a saudade.

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Simpósio de Contadores de História



Vai rolar no Sesc Copacabana, o XIII Simpósio Internacional de Contadores de História.
É um evento muito legal que tem oficinas e maratona de 24h de contação de histórias.
Eu já fiz minha inscrição para o dia 24/08 numa oficina chamada poeticamente de Brotos da Leitura.
Achei o nome tão lindo, tão profundo, que não resisti.
É isso que precisamos fazer mesmo. Plantar leitura para colher leitores.
Quem se interessar é só entar no site do SESC RIO, que a programação tá lá, a ficha de inscrição também.
Não demora cinco minutinhos, e são coisas asim que valem um momento importante das nossas vidas.

domingo, 12 de agosto de 2007

Da vida...



Incansavél mesmo é a gente tentar ser feliz.
De todas as formas e maneiras, independente de tudo, e desde que não se passe por cima da cabeça de ninguém.

Por que a vida é tão cheia de mistérios maravilhosos e insondáveis, e que bom seria se tivéssemos a possibilidade de conhecer cada um deles, com todas as suas minúcias e singularidades.
Mas incansável mesmo é o amor, é amar.
Sentir frio na espinha, beijar na boca, trocar fluídos, todos eles, de todos os tipos, de todas as maneiras.

Porque o vazio é a escuridão da alma.
A falta de amor é o passo para o abismo da loucura.
Ninguém deve ser sozinho. Todo mundo tem seu par.
Pena que às vezes, as relações se tornam palco de perversidade, onde um lado sofre enquanto outro se regojiza com este sofrimento.

Uma vez ouvi da minha chefe, que a gente escolhe o peso da nossa cruz.

Tem gente que escolhe carregar uma cruz pesada, de chumbo, e é incansável nessa via crucis. De vez em quando é possível avistar um atalho, mas a pessoa está cega.O sofrimento é o alimento da sua alma.

Tem gente que escolhe carregar uma cruz de isopor.
A cruz que está ali é meramente simbólica, do carma da vida que vivemos.
Mas com ela é possível ser feliz, encontrar um amor que lhe dê prazer, um emprego que lhe faça feliz. Te permite ir no aniversário da sogra e até se divertir.

Resta-nos a escolha.
O livre arbítrio.

A escolha talvez seja a parte mais difícil dessa história.
Depois como diria a ministra e sexóloga Martha Suplicy, é só relaxar e gozar.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Sobre Diários



Diários me remetem à memória.
Não tem jeito.
É alguma coisa assim que para mim é fundamental.
Outro dia, uma amiga, achou engraçado o nome do meu blog "Diário da Fafi".
Eu não respondi na hora.Mas depois fiquei pensando.

Bem, Fafi, é meu apelido dado por um ex-namorado há mais de vinte anos.E os diários, fazem parte da minha vida desde a tenra infância .
Eu sempre anotei incansavelmente em meus cadernos os meus dias nada agitados.
Mas era fiel em retratar meus sentimentos, em escrever versos e desenhar bonecas.
Na adolescência os diários viraram relicários de protestos, de poesias engajadas, de sonhos de madureza, e quem sabe, de um príncipe que nunca viria, mas naquela época, eu não sabia.

Na juventude, meus diários eram verdadeiros compêndios literários e artísticos, palanque de discurso políticos, de intensas declarações de amor e ódio, palco de sonhos incertos e muitas, muitas análises filosóficas sobre mim mesma e os meus amores.
Somente Renato Russo me entendia nessa época, e a Legião foi a trilha sonora perfeita dos meus dias.Daqueles dias.

É isso, inclusive, que sempre me lembra, que sou uma legítima representante da Geração Coca -cola.

Depois casei, tive filhos, e diário virou sinônimo de agenda de trabalhos, com datas e horários tão previsíveis quanto o céu azul sob nossas cabeças.

Um dia, mexendo nas minhas coisas, achei vários de meus diários.

O mais antigo infelizmente é de 1988, mas não é nada não é nada, lá se vão dezenove anos.E lá estou eu, 21 anos, inteira,incerta,insegura,tanto quanto aos 40.

O mais dolorido de ler, foi o do primeiro ano de meu casamento, quando a realidade do cotidiano me mostrou com quantos paus se faz uma canoa.

Os diários, livros, agendas ou blocos feitos a mão quando a grana tava curta, revelam o que já estava intríseco.
A necessidade de escrever, de relatar, de descrever o cotidiano, os sentimentos, as inseguranças e anseios de mim mesma e de minha geração.

Pensei muito, e cheguei a conclusão que os diários me fizeram adiar por muitos anos minha escrita pública, porque escrever diário é tão íntimo, é tão campo seguro, que senti dificuldade de me desnundar.

Porque no fundo no fundo, escrever é se mostrar.E eu, tenho tendência a ostra.

Mas a idade, e o gostinho de ser lida é tão bom, que nada hoje em dia, me faria anular esta experiênia.

Por isso quando fui fazer o blog, foi muito natural escrever em diário, pois é isto, e sempre será.

Sou uma mulher de diários.

Este, é apenas mais um, dentre todos os que já tive na minha vida.

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Evento imperdível

Esse e-mail me foi passado pela Ana Paula de Souza que é Pedagoga e Orientadora de Projetos pelo Movimento Humanista / Membro da Rede Internacional de Educadores Humanistas

IMPERDÍVEL !!!!!!!!

ALMOÇO + DEBATE SOBRE EDUCAÇÃO + RECREAÇÃO INFANTIL

PARTICIPE, TRAZENDO UM PRATO DE ALGO BEM GOSTOSO PARA SER COMPARTILHADO E R$5,00 PARA COLABORAR COM OS PROJETOS DESENVOLVIDOS NO ESPAÇO DE AÇÃO HUMANISTA.
CRIANÇAS ATÉ 12 ANOS NÃO PAGAM

DIA 28/08/07 (Domingo)

NO ESPAÇO DE AÇÃO HUMANISTA
AVENIDA MONSENHOR FÉLIX, 395 PRÓXIMO AO METRÔ DE IRAJÁ
TEL.: (21)30874741 / (21)33819007
www.acaohumanista.org

HORÁRIO
12h – ALMOÇO
14h – DEBATE “POR QUE A ESCOLA É CHATA?”
14h – RECREAÇÃO INFANTIL

Paz, Força e Alegria!

...

Hoje depois de um dia árduo de trabalho, com tarefas difícies para cumprir e alguns obstáculos a ultrapassar,chego ao fim do dia com uma certeza: O pensamento positivo realmente interfere em determinadas situações.
Ter uma atitude possitiva de enfretamento, planejar ações e falas,para não meter os pésd pelas mãos também é uma boa dinâmica.
Pelo dia de hoje, um beijinho, Verinha da Abolição.

O trabalho em equipe é fundamental para as grandes conquistas.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Amazônia Ilegal


Acabei de abrir um e-mail de um amigo mexicano, Luis Octávio, que me enviou uma mensagem em slide.
Ele que mora em Texoatlan,está apavorado com o que leu, e eu não posso negar que ao ler o e-mail, também me deu uma reviravolta no estômago.

O contéudo está num livro de geografia do 6º grau,intitulado "Introdução a Geografia" de David Norman e está sendo utilizado na Junior High School e é uma verdadeira afronta aos latinos americanos e principalmente, a nós brasileiros.
O absurdo já começa no mapa do Brasil sem a Amazonia e o Pantanal. Numa outra página, a área da Amazônia está sinalizada como sendo um área internacional sob controle dos Estados Unidos e das Nações Unidas.

No conteúdo ainda vem escrito que nós brasileiros e demais paises latinos somos incultos, ignorantes, autoritários(!?)miseráveis e que não temos condições de tomar conta de um lugar com tamanha biodiversidade devido ao nosso primitivismo.
Segundo o slide, o texto é uma preparação para formação da opinião púbblica americana para uma futura tomada de território.
Inclusive, dizem que desde dos anos 80 que foi criada a FIRAF( Primeira Reserva Inetrnacional da Floresta Amazônica) apoiada pelo G23, para salvaguardar a água e e todas as vaquinhas de presépio do G23 concordaram que nossa ignorância é tamanha e que não só daremos cabo do "pulmão do mundo", como da humanidade inteira.

Isso inclusive é o discurso para justificar a Operação Colômbia que tem a presença de mais de 80 mil soldados norte americanos, com base no Suriname.
Mas os alunos norte americanos não precisam se desesperar porque os Estados Unidos não deixarão isso acontecer.

Tem outras cositas terribles escritas.

Eu não duvido de nada disso, O Greenpeace já vem alertando a alguns anos sobre essa possiblidade de tomada de território pelo EEUU.

É assim que os governos norte americanos vêem o mundo: Como objeto de posse e é por isso também que são odiados,porque fazem odiar e se fazem odiar.

No texto, o autor David Norman, nos chama de irresponsáveis, cruéis, país de tráfico de drogas, etc...
Como se eles fossem os reis da cocada preta, né minha gente?

Bem, está dito.

Resta-nos saber: O que faremos enquanto povo com relação a isso? O que este governo que se diz do povo fará com relação a isso?

É para preocupar mesmo.

Como diz a poeta mexicana Lina Zéron: Até quando nos dignaremos a ser somente o pátio traseiro?

E para finalizar a discussão, como se diria no antológico Chapolin Colorado:

_E agora? Quem poderá nos salvar?

sábado, 4 de agosto de 2007



Hoje Marilyn Monroe faz anos de morta. 42 se não me engano.
Até hoje, investigadores buscam, se ela foi morta por excesso de droga ou assassinada pelos Kennedy.
Eu tenho minha opinião formada, mas isso é uma outra história.
Tem gente que não gosta dela, que acha ela fútil, etc. etc. etc.
Mas eu guardo boas lembranças da minha infância com a musa, vendo seus filmes nas altas horas da madruga ou na Sessão da Tarde.
O jeito como ela olhava, seu jeito de olhar de uma boneca exagerada,o modo como mexia a boca tão lentamente me intrigava. Eu achava tudo engraçado.Ainda não sabia que essas eram suas armas de sedução.
Na adolescência tive a opotunidade de ler duas biografias a seu respeito, e minha opinião mudou.Eu fiquei chocada com sua história de vida, e a maneira vil como foi manipulada por seus vícios, seus produtores, psiquiatras, amigos,diretores e até mesmo a máfia norte americana.
Essa história de atrizes envolvidas em escândalos não tem nada de novo.
Mas sempre mexe com a gente, como essas pessoas com uma vida tida como perfeita, que são ricas, bonitas, são tão vazias de tudo e do todo.
Bem,Marilyn Monroe faz parte do imaginário coletivo como uma mulher linda e sedutora.
Eu gosto mais do seu lado frágil e pouco equilibrado, porque essa é a verdadeira Norma Jean.
É só olhar essa foto e comprovar a que a musa pop do século também tinha lá seus dias...

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Declaração de Amor



Hoje acordei bem cedo e fiquei corujando meus filhos dormindo.
Nossa! que coisas mais ricas!
Quando penso neles bem pequeninhos e em
todo o trabalho que tive para cuidar dos três.
Tive que chorar.
Não existe coisa mais gostosa que filho.

Até êxtases sexuais perdem de goleada de beijo de filho,
de abraço de filho,
de amor de filho.

Eu tenho amor de filho de montão.
Tenho três lindas criaturas que me foram enviadas por Deus
para eu cuidar e proteger.
E essa é a mais importante missão da minha vida.
A mais arriscada,
e a mais amada,

Meus filhos; Má, Bibo e Ju.

À vocês, hoje e sempre, todo meu amor .

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

I Seminario Afro Latino

Hoje foi meu segundo dia de participação no I Seminario Internacional Intercâmbios Afro Latinos realizado pela Fundação Palmares, aqui no Rio de Janeiro.
Foi muito interessante a abordagem feita pelos professores colombianos convidados pela Fundação, Fanny Quiñones e Wilmer Villa.
O paralelo entre os dois países são muitos e a realidade do negro lá na Colombia, não é muito diferente do negro no Brasil.
A proposta de uma politica pedagogica intercultural me agradou sobremaneira, como projeto a ser pensado, não somente nas questões étnicas,mas na questão da formação do professorado.
O professor senegalês Mbare Ngon da Universidade de Morgan foi maravilhoso em sua fala direta, positiva, afirmativa da busca da identidade do negro,e conclamou a todos para lutarmos contra a invisibilidade do povo negro
Á tarde foi abrilhantada pela presença do cineasta Joel Zito dando uma contribuição de inestimável valor referente a uma proposta de arte cinematográfica auto centrado na questão africana e afrobrasileira.
Maria José Lopes,professora da UERJ falou sobre educação tendo como foco o afrocentrismo no currículo escolar. Gostei muito.Mas ainda preciso me interar mais sobre o assunto para dar minha opinião, mas a principio, achei uma proposta bem interessante e viavél nas escolas.
Minha cabeça está fervilhando com as informações de hoje,mas falo disso mais adiante.

E por falar nisso: Onde está a Guarda Nacional, hein?
Acabou o Pan, voltamos à violência nossa de todos os dias.

Que os deuses nos ajudem.