Total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de julho de 2008

declaração de amor


Então amanheceu e tudo explodiu em mil cores...
em cheiros...
e gostos...
e uma linda voz me acariciou
me fazendo despertar.

Abri os olhos.

Sim, minha vida estava lá...
bem diante de mim...

quarta-feira, 30 de julho de 2008

.....

O silêncio caiu na sua alma pior do que a ira.
Ele não a queria mais.
O adeus estava impresso nos seus olhos.
Ela não era mais criança, entendia os gestos, os não ditos.
Era especialista na vida.

E por não ter nada pra falar, ela calou-se.

E por não ter mais ninguém para amar, ela afundou-se em si mesma.

Recadinho:

Minha irmã em xangô, Dona Preta, toda sorte do mundo pra você, não discuta com o destino, aceite-o.
O universo conspira a favor, você vai ver.
Gosto demais de ti, menina.
Isso é coisa astral.Carinhos.

terça-feira, 29 de julho de 2008

sobre buscas interiores


Tenho tentando entender minha vida de todas as maneiras...

É difícil pra caramba chegar na minha idade, e ainda sentir um vazio da busca, do algo perdido, da incompletude...

Logicamente que ponto de visto filósofico e tal o homem é incompleto na essência.Mas procuro platonicamente entender o mito da caverna da minha maneira, pois é assim que tem que ser.

Voltei esses dias a minha origem curiosa, à minha visão de vida veloz, e com a impaciência que me é característica vou em busca desse algo de cabeça.

Mas como não ando bem da cabeça, às vezes, me sinto andando descalça na escuridão.
Então me volto pras orações.

Minha essência é religiosa, no sentido de que me volto sempre para o sagrado, minha mente está sempre voltada para o bem, para o bom, para o amor.

Os templos corroem as pessoas de vaidade, de incompreensão,de pequenas maldades.

E para mim, as divindades estão presentes aqui, agora, neste momento que escrevo, da mesma maneira que os orixás estão presentes na natureza, e o anjos nos ajudam se precisarmos deles.

Escrevi isso tudo pra deixar aqui, dez recomendações para vida segundo os ensinos fundamentais do Budismo Ch'an.

Porque seria lindo se as pessoas pudessem colher das suas respectivas religiões e das demais, a beleza da vida, os ensinamentos sagrados da convivência, da tolerância, sem se preocuparem com denominações.

Se pudessem extrair realmente aquilo que todas as religiões buscam, mas que se torna cada dia mais difícil e impossível: simplesmente amar.

10 Recomendações para a Vida

Descubra seu maior defeito e disponha-se a corrigi-lo.


Escolha até três exemplos de vida e determine-se a segui-los.


Tenha força e sabedoria para resistir às tentações do mundo.


Cultive a força da tolerância de forma a compreender, aceitar, assumir responsabilidades, ter determinação e melhorar as circunstâncias externas. Então, passe a cultivar a tolerância pela vida, a tolerância por todos os darmas e a tolerância pelos darmas não-surgidos de maneira a transformar o cultivo da tolerância em força e sabedoria.


Aprenda a se adaptar à pressão externa e não se deixe afetar por ela.


Seja ativo e destemido. Pense antes de agir.


Envergonhe-se do que ignora, do que é incapaz, do que o torna impuro e rude.


Faça com freqüência algo que toque o coração das pessoas.


Sinta-se bem sob qualquer circunstância, siga as condições corretas, esteja sempre livre de aflições e faça tudo com alegria no coração.


Ser corajoso e virtuoso é ter a capacidade de admitir os próprios erros.

segunda-feira, 28 de julho de 2008

....


Faço de conta qu sou uma fada...
uma fada bem safada
que usa salto alto,roupas pretas
kajal, muito rímel e gloss...

Uma fada sem medo
sem limites...
e com muita coragem pra experimentar
seja lá o quer for
seja com quem for

uma fada profana
sem asas
sem vergonha na cara

Sem ética e sem juízo

Uma fada que fale baixo

e se esparrame nas almofadas
numa lingerie lilás

Uma fada com quê de bruxinha
doidinha
espevitada
tarada
doida....


Lá no fundos bem fundos...

Sei que essa fada não tem nada de faz de conta ela está é bem aprisionada.

Mas não é que a bichinha está doida pra sair?

sexta-feira, 25 de julho de 2008

sobre política


Graças a deus que pelo menos o Ministério Público funciona neste país, contrariando a tudo e todos.

Fiquei estarrecida ao abrir a Folha agora de manhã e ver que a lista de candidatos que tentam concorrer a cargos públicos em todo canto do Brasil tem assasinos, torturadores de menores,suspeito de roubo a mão armada e até um esquizo paranóide.

Olha, se já tá difícil com os "normais" imagine com essa gente aí?

É PRECISO RESGATAR OS VALORES ÉTICOS URGENTEMENTE, pois não há crescimento sem investimento no cidadão e sem ética na politica.

Até quando vamos compactuar com isso?

O Maluf é candidato em São Paulo!Isso é um absurdo!

Mas absurdo ainda são os 11% das intenções de voto que esse senhor recebeu na última pesquisa!

Não adianta termos votação eletrônica de última geração, se nosso povo ainda não sabe escolher seus candidatos.

O que mais me desanima é ver nome de bons politicos indo para a lama nesse carnaval de obscenidades, falcatruas, maracutaias....

Talvez uma saída seja o Judiciário investir em alguma tentativa de moralização e conscientização...Aliás isso alguns juizes concientes já vem fazendo.
Mas ainda é pouco. É preciso conscientização em larga escala, institucional.

Sou a favor que as crianças tenham em seu currículo desde a educação infantil, disciplinas como Educação para o Trânsito e também Ética, Política e Cidadania.

Como estão apostando que a nova geração vai ser mais consciente com relação às leis de transito, é preciso apostar também que as novas gerações entendam de politica numa outra concepção, de bem comum, de gerar ações coletivas, e não meramente essa desavergonhada roubalheira que se tornou o termo Politica no Brasil, gerenciada pela ações de maus politicos e maus governos.

Para Hannah Arendt uma das maiores filosófas alemãs "O sentido da política é a liberdade".

Vejamos o que diz Hannah Arendt: "A política, assim aprendemos, é algo como uma necessidade imperiosa para a vida humana e, na verdade, tanto para a vida do indivíduo maior para a sociedade. Como o homem não é autárquico, porém depende de outros em sua existência, precisa haver um provimento da vida relativo a todos, sem o qual não seria possível justamente o convívio. Tarefa e objetivo da política é a garantia da vida no sentido mais amplo."

Para Hannah, a tarefa da política esta diretamente relacionada com a grande aspiração do homem moderno: a busca da felicidade.

Imagina se nosso Legislativo pensa isso?

Se continuarmos por este caminho criaremos gerações desconfiadas com o poder, que não acreditarão no valor constituído da democracia, na importância das relações entre o público e o privado e tantas outras coisas importantes que nos constituem um país.

Politica não é só votar ou não votar. Politica é participar, tomar atitudes.

Se omitir é deixar que façam a escolha por nós.

Me desculpem o arroubo juvenil, mas é impossível me calar: Impugnação para essa canalhada já!

quinta-feira, 24 de julho de 2008

escritores iguaçuanos ou não....

Malena Xavier, coordenadoa da Biblioteca Pública Central De Nova Iguaçu, enviou esse convite:

C O N V I T E

A Biblioteca Municipal Central Prof. Cial Brito convida para uma roda de poesia em homenagem aos escritores iguaçuanos.

Dia: 25/07/2008 (Dia do Escritor)
Local: Biblioteca (Espaço Cultural Sylvio Monteiro)
Horário: 19 h


Estão todos convidados.

+ presente

Ganhei mais uma flor de presente....



Assim vou ficar mal acostumada...Brigadim...Beijins

quarta-feira, 23 de julho de 2008

lucidez



Depois de muito pensar ela decidiu não sabotar mais sua vida.

Iria jogar pro alto aquele homem maravilhoso que conhecera, com os olhos mais lindos que vira no último mês, mas que sua intuição lhe dizia desde o primeiro dia que ele era encrenca, e das grandes.

Decidiu que não daria mais pra ele, por mais que cada vez que abrisse as pernas, o gozo já saisse jorrando de suas entranhas quentes.

Era um pesar. Mas ela era muito mais que isso.

E, pela primeira vez na vida, não sabia o que queria.

Não sabia se queria aceitar o que ele estivesse disposto a lhe oferecer.

Mesmo que fosse pouco. Mesmo que fosse tudo.

Ele, filho de Quíron, inconstante, infiel, sedutor até a última gota de sangue,lhe dizia sua intuição, podia lhe fazer mal, muito mal.

E por mais que gostasse de correr perigos, investisse nos desafios, por mais que lhe fosse difíicil resistir ao cafajestismo, a pedaços de céu de boca, a mãos fortes, a pernas peludas, ela se sentia-se suficientemente madura para dizer não.

Estava a disposta a virar a mesa da própria vida.

Iria fazer as pazes consigo mesma num nível mais profundo.

Se perdoaria pelas suas imperfeições, pelos seus amores desastrosos, pelos seus erros seguidos, pela impaciência descarada, pela preguiça que a impedia de lutar pela sua própria vida.

Se perdoaria e começaria de novo.

Seria indecente consigo mesma.

Se daria prazer.

Se olharia no espelho não para buscar a última estria que saiu no peito ou mais um furinho das malditas celulites.

Não buscaria as olheiras que nem aquele creme caríssimo dava jeito.

Buscaria sua perfeição perdida.

Se olharia por fora, resgatando a beleza de dentro, a pureza do ínfimo, a doçura interior.

O encanto infantil do seu sorriso, sempre tão elogiado, a brejeirice sensual de seu olhar de Capitu, a indiscreta saliência entre suas coxas roliças.

Sim, faria as pazes consigo mesma com disposição de jogadora.

De mente aberta pro que der e vier, dona do jogo e da bola.

Lúcida, para captar a luz vertiginosa que entra pelas janelas e portas abertas de seu coração, e pronta para jogar no baú tudo aquilo que está sobrando, que é corrente, que pesa e interfere na sua caminhada.

Faria as pazes consigo mesma e desperta, estaria pronta para começar no mundo.

terça-feira, 22 de julho de 2008

cada um no seu quadrado



O lema dos anos 70 foi : Viva e deixe viver!

O lema dos dias atuais é: cada um no seu quadrado, cada um no seu quadrado....

Interessante a vida né?

Alhos por Bugalhos:




Durante a infância como quase todo mundo da minha idade, eu via todos os dias, Batman e Robin com Adam West. Esse era um horário sagrado lá me casa.

POW! CRASH!

Santa Fidelidade, Batman!

Na adolescência continuei fã do Batman.

Adam West estava posto, mas meu amor pelo Homem Morcego não.

Eu lia muito gibi: Tio Patinhas, Luluzinha, Mônica, Pato Donald, Mickey e toda a saga do Super Man, Liga da Justiça, também tinha espaço para o Surfista Prateado, as Aventuras de Conan, o Barbaro, Kull e o Mostro do Pântano, vixe!

Quase morri de alegria quando houve a retomada do Batman em gibis em meados dos anos 80. Ele voltava triunfal, soturno, existencialista, sofrido quase humano como o Cavalheiro das Trevas.

Perpetuou meu amor.

Momento Terapêutico: (Abre aspas)Acho que esse amor pelo Batman,tem um quê de tentativa de resgatar da minha infância.Não saco nada de terapia, mas aqueles filminhos do Adam West eram tão bons, ma faziam tão feliz, satisfaziam minha egotrip. Aquela máscara sem vergonha, aquele sungão, aquele olhinho perdido dentro daquela máscara esquisita... Eu vivia me perguntando como o Comissário Gordon não reconhece o Bruce nessa maldita fantasia?Isso mexia com meus grilhões, eu o reconheceria, eu me dizia e esse tanto mais me encantava....Batman e sua louca identidade secreta...(fecha aspas)

Ai vieram os filmes.

Me amarrei no primeiro e no segundo, mesmo tendo o Michael Keaton como protagonista, Val Kilmer(que é aquilo meu deus?), no terceiro, George Clooney perdoadíssimo no papel de homem morcego e a quarta sequência, o charmoso Christian Bale, soturno, sofrido. Cavalheiro das Trevas...Adorei

Adoro os filmes do Batman, podem falar mal, mas sempre encontro bons motivos para ver e rever o homem morcego.

Quando anunciaram que Heath Ledger ia fazer o Coringa, eu vibrei muito.Desses novos atores de Hollywwody, ele simplesmente se sobressai com seu talento maduro e sem uma beleza marcante.

Ganhou meu respeito e tornei-me uma apreciadora do seu trabalho desde Coração de Cavalheiro.

Inesquecível....Adoro.....

O garoto era bom.Tão bom, que agora ele me assusta um pouco.

Aquela maquiagem borrada,seus olhos expressivamente psicóticos, esse Coringa tão diferente dos outros, tão maduro e expressivo, tão gente grande...com seu sorriso sardônico e doentio...

O filme ja estreiou, e eu uma fã desde outros carnavais, com medo do Coringa, gente.

Estou querendo companhia pra ir assistir ao filme. Alguém aí se habilita?

sábado, 19 de julho de 2008

coreografia



frente

lado

meia ponta

desce

frente

puxa

pisa pisa

ponta atrás

ponta lado

frente

lado direito, desce, sobe

1,2,3

palma.


Que é uma delícia é.
Mas que dá pra enlouquecer um depressivo, dá.

Recadinhos: Indo Pra Búzios. Volto rápido. Juro.

Regina Ramão: Cê põe sorrisos na minha boca. Adoça meu dia.Carinhos.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

um presente


Ganhei essa flor de presente.
Obrigado.
E, mais uma vez, desculpe por tudo.

contemplação



Naquela manhã ela acordou e não resistiu.Correu pra se olhar no espelho.

Correu pra dar conta dos seus penduricalhos internos que chacoalhavam-na à exaustão.

Ela correu para dar de cara com suas dores. Tão profundas, tão maduras,tão resistentes como os bicudos no algodoeiro.

Logo se arrependeu da sua inspenção.

Se dar conta pra que?

Porque querer saber de coisas que não mais lhe interessam?

A antiga euforia de se pertencer acabara quando descobriu que as dores da infância não terminavam quando se crescia.

Elas ainda permaneciam lá. Quietas, à espreita,com os dentes arreganhados.

Cresceram com os anos, e assombravam com mais força, e o pior foi descobrir que não tinha mais pra onde correr.

Não tinha mais o aconchego da cama de pai e mãe.

O caminho estava livre.

Sim, estava ali exposta.Vulnerável.

E ainda que tentasse se esconder em seus subterrâneos mais profundos, algo sempre ficava á mostra.

E pode ver sua cama recoberta de ossos de antigas relações.

Precisava ir ao supermercado. Com urgência.

Tinha que guardar esses esqueletos dentro de uma caixa de papelão e seguir adiante.

Mas não hoje.

Não hoje quando sua cabeça pesava. Tantas quinquilharias.

E seu corpo? Arriscado de se enferrujar tamanho era o peso da armadura.

Olhou-se novamente.Não havia saídas.

Pelo menos, por enquanto.

Em frangalhos, foi tomar seu café da manhã.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

geraldas e avencas



Ontem fui ao Teatro Municipal ver o espetáculo de dança "Geralda e Avencas", com o grupo mineiro 1º Ato.

Apesar de não sacar muito de dança moderna, gostei pra caramba do espetáculo!
Os bailarinos tem corpos que parecem mola de tão flexíveis.

Alguns momentos idílicos, outros nem tanto.

Mas no final, valeu a crítica pela busca do ser humano perfeito,da eterna beleza, pelo mito da mulher ideal, siliconizada, estilizada,plastificada, transversalizada, que deixa de ser mulher para ser uma máquina improvisada.

A trilha sonora é do meu adorável Zeca Baleiro. De uma perfeição emocionante.

Parabéns a todos, e principalmente aos bailarinos:
Alex Dias
Ana Virgínia Guimarães
Danny Maia
Luciana Lanza
Luiza Braz
Marcela Rosa
Thiago Oliveira

que excecutaram maravilhosmanete bem, a coreografia da Sueli Machado.

Alhos por Bugalhos:

Continuo esperando que o correio traga boas notícias ao invés de contas, contas e mais contas....

quarta-feira, 16 de julho de 2008

intolerância: obama na new yorker



Eu sei que já passou um tempinho desse acontecido, mas como vocês sabem, meu cérebro estava em marcha lenta essa semana, então... enfim....

Mais uma vez, os norte americanos, mas precisamente a revista New Yorker, deram prova do seu extremo mau gosto ao retratar o casal Obama como terroristas, com direito a bandeira queimada e retrato na parede de Bin Laden e tudo.

Resposta da New Yorker sobre as inúmeras críticas: A charge é uma sátira à campanha do medo implementada pelos republicanos. Ora me poupem né?

Não quer ajudar, não atrapalha.

Outra coisa que esses norte americanos precisam cair na real:

Nem todo mulçumano é terrorista,aliás, a maioria não é.

Nem todo Hussein é Saddam.

A charge é ofensiva, de mau gosto e intolerável para quem acredita e luta pelo respeito às diferenças étnicas.

.....

(dreamer spirit)


Quando quero uma coisa, quero obsessivamente
desvairada, não paro de pensar obcecada.....

Mas também quando não quero, não quero com a mesma força motriz
A mesma obsessão toma conta de mim,

mas dependendo do que for, com quem for, eu cedo.....

É terrível não saber dizer NÃO!

Onde será que se aprende isso? em casa? na escola?

Como se aprende a não deixar os outros fazerem você de gato e sapato?

Geralmente as pessoas que fazem as outras de gato e sapato farejam longe pessoas como eu e adoram, chego a vê-las lambendo os beiços...

E asim vou repetindo os mesmos erros continuadamente...

Que mal!Será que todo aquariano é assim? genuinamente confiante?

Bobos, otários, genuinamente criativos e inventivos e estúpidos?

Que tédio não saber respostas.

Vou comer uma caixa de bis e volto já.

De repente, quem sabe nesse meio tempo, não aconteça alguma coisa de sobrenatural entre o quarto e a sala.

terça-feira, 15 de julho de 2008

vírgula



Tão sem saco pra postar.

Tão sem ânimo, que saio à cata.

As vezes encontro algumas coisas legais como essa que foi o tema da campanha de 100 anos da ABI.

Aos interessados: eu coloco minha vírgula onde eu quiser, a vírgula é minha,faço dela o que bem entender.....

Virgula

A* vírgula pode ser uma pausa... ou não*.
Não, espere.
Não espere.

*Ela pode sumir com seu dinheiro.**
*23,4.
*2,34.

*Pode ser autoritária*.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.

*Pode criar heróis*.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

*E vilões.**
*Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto.

*Ela pode ser a solução*.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

*A vírgula muda uma opinião*.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

*Uma vírgula muda tudo*.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

brincadeirinha....



* Se encontrar o rosto do homem em menos de 3 segundos, você tem um cérebro mais desenvolvido que a média.
* Se encontra em menos de 1 minuto, tem um cérebro normal.
* Se demora mais de 1 minuto, então o lado direito do seu cérebro é mais lento e você pode estar necessitando de algumas proteínas.

Nada disso é comprovado mas a brincadeira é bem divertida.

Tenta awe!

domingo, 13 de julho de 2008

de fabricio carpinejar



"...Sei perdoar.
Perdoar a vida por não ser como eu queria ou como ela desejava que fosse.
Sei também viver o que a vida não me dá..."


Essa foi uma das coisas mais lindas e profundas que ouvi nos últimos tempos. Ave Fabrício!

sexta-feira, 11 de julho de 2008

lucidez


Depois de muito pensar ela decidiu não sabotar mais sua vida.

Iria jogar pro alto aquele homem maravilhoso que conhecera, com os olhos mais lindos que vira no último mês, mas que sua intuição lhe dizia desde do primeiro dia que ele era encrenca, e das grandes.

Decidiu que não daria mais pra ele, por mais que cada vez que abrisse as pernas, o gozo já saisse jorrando de suas entranhas quentes.

Era um pesar. Mas ela era muito mais que isso.E, pela primeira vez na vida, não sabia o que queria.

Não sabia se queria aceitar o que ele estivesse disposto a lhe oferecer.
Mesmo que fosse pouco. Mesmo que fosse tudo.

Ele, filho de Quíron, inconstante, infiel, sedutor até a última gota de sangue,lhe dizia sua intuição, podia lhe fazer mal, muito mal.

E por mais que gostasse de correr perigos, investisse nos desafios, por mais que lhe fosse difíicil resistir ao cafajestismo, a cada pedaço de céu de boca, de suas mãos, de suas pernas peludas, ela se sentia-se suficientemente madura para dizer não.

Estava a disposta a virar a mesa da própria vida.

Iria fazer as pazes consigo mesma num nível mais profundo.

Se perdoaria pelas suas imperfeições, pelos seus amores desastrosos, pelos seus erros seguidos, pela impaciência descarada, pela preguiça que a impedia de lutar pela sua própria vida.

Se perdoaria e começaria de novo.

Seria indecente consigo mesma, se daria prazer, se olharia no espelho não para buscar a última estria que saiu no peito ou mais um furinho das malditas celulites.

Não buscaria as olheiras que nem aquele creme carissimo dava jeito.

Buscaria sua perfeição perdida.Se olharia por fora, resgatando a beleza de dentro, a pureza do ínfimo, a doçura interior.

O encanto infantil do seu sorriso, sempre tão elogiado, a brejeirice sensual de seu olhar de Capitu, a indiscreta saliência entre suas coxas roliças.

Sim, faria as pazes consigo mesma com disposição de jogadora.

De mente aberta pro que der e vier, dona do jogo e da bola.

Lúcida para captar a luz vertiginosa que entra pelas janelas e portas abertas de seu coração, e pronta para jogar no baú tudo aquilo que está sobrando, que é corrente, que pesa e interfere na sua caminhada.

Faria as pazes consigo mesma e desperta, estaria pronta para começar no mundo.

Greve de Augusto de Campos

Poesia faz bem pra alma.

E porque não pros olhos e ouvidos?

Curtam.


Essa é minha:

Estou concreta.

Incerta.

Gráfica.

Cimentam a jaula que vivo

e grito.

Para mim, tanto faz.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

saia justa


Ontem sem nada pra fazer fiquei zapeando pela Tv.

Acabei no Saia Justa, vendo as quatro apresentadoras falando sobre as coisas que rolaram na Flip.
Como entrei no meio do programa, peguei a discussão no meio do caminho, mas adorei o pouco que vi.O tema me parece era perversidade.

A Marcia Tiburi e a Monica Waldvolgel são um escãndalo.
São centradas, objetivas, tem opiniões inteligentes sobre os assuntos e não fazem força para parecer o que não são.

Já a Maitê...Que é aquilo? Ela faz mil caras e bocas enquanto mexe no cabelo...bem dondoca...

Pode ser que tenha sido uma impressão.... Minha cabeça não anda nada boa mesmo.

Mas adorei a discussão. Logicamente não me lembro de tudo, até porque não tenho mais memória, ela simplesmente desapareceu!

Inclusive, tenho feito sapatedo,(amanhã completa um mês), as aulas são uma delícia, mas quando saio da academia simplesmente minha mente apaga todos os passos que aprendi nas 1h e meia de aula.

Na outra semana, não tenho nenhum vestígio de nada.Tudo apagado do HD.

Eu hein!

quarta-feira, 9 de julho de 2008

joão roberto


Até quando meu deus?
até quando vamos suportar isso?
Até quando vamos conviver com essa política de estado em que a cada dia nós, os cidadãos, somos prejudicados,avacalhados, onerados, mortos?

Até quando vamos ter medo de sair de casa?
de passear com nossos filhos?

Que Estado é esse? que governo é esse? que secretário de segurança é esse?
e finalmente, e sempre, que polícia é essa?

Que policia é essa, meu deus?

A ação muito bem pensada da mãe do João, foi de proteger a sua familia.

Também fizemos isso uma vez.

Saímos para jantar,e depois de um tempo na via,percebemos que um carro cheio de homens com as cabeças e mãos para fora, vinha em alta velocidade pedindo passagem e logo atrás um carro de policia sirenando.

Policia atrás de bandido.Dedução óbvia.

Andamos um pouco e depois paramos nosso carro e demos passagem.A ambos.

Meus filhos estavam no carro. Olhos assustados. E eu só pensava:Não saio daqui enquanto eles não estiverem bem longe de nós.

Foi o que a mãe do João deve ter pensado também.

Queria os bandidos bem longe dela e dos filhos.
Mas infelizmente, eles estavam bem mais perto do que ela pensava.

Mais uma vida ceifada.

O que é para mim, é insuportável nessa história toda sãos os pedidos de desculpas das autoridades incompetentes. Desculpas não adiantam simplesmente de nada! Nada!

Sinto tanto. Pela familia do joão, pelo João.

E pelo Rio.
Rio que te quero tanto.
Rio do meu amor.

terça-feira, 8 de julho de 2008

internet e solidão


(ainda Chagall: mulher e rosas)

Numa dessas minhas leituras, li um artigo do ator e escritor Aloisio de Abreu onde ele dizia que a internet é a fada madrinha dos solitários.

Passei um tempo amadurecendo essa afirmação.

O quanto de verdade ela tinha. O quanto de sensibilidade ela tem.

É verdade.Estamos da era do eu-sozinho.

Na fase das coisas e relacionamenentos descartáveis.

A internet é um campo aberto de intenções. E más intenções.

Constantemente alimentados por mentiras e boatos, ficamos a mercê da nossa fada madrinha.
Rindo sozinhos, falando sozinhos e se vemos algo de realmente interessante enviamos por e-mail para nossos amigos.

Não trocamos mais telefones. Apenas e-mail e msn. Todo mundo tem o seu. Estão todos interligados e ao mesmo tempo, tão desplugados dos outros.

E- mail não tem voz. Orkut também não.

Não tem carinho. Não tem afeto.

E cada vez mais as pessoas se embrenham em sites de relacionamento a procura. À busca.

Antes o perfil da procura eram de pessoas solitárias, com dificuldade de se relacionar pessoalmente.

Hoje em dia é um grande mix de pessoas que procuram amizade, sexo casual, zoeira. Relacionamentos velozes. Fugazes. Sem laços.

E com um simples click, basta bloquear, excluir, e a pessoa está fora da sua vida.

Vivemos a era das individualidades,dos homens distantes, dos extremos.

Extrema violência, extrema egocentricidades, extremas celebridades, extremas intolerâncias a etnias e gêneros e tolerâncias demasiadas ás injustiças, a guerra, a corrupção...

Vivemos.... ou será que nos enganamos que vivemos?

Viver no meu tempo de criança por exemplo, era sentar debaixo de uma goiabeira junto com a meninada e comer todas as goiabas até a barriga ficar dura de saciedade.

Viver era chupar bala juquinha,e faltar a missa no domingo.

Viver era fazer um cigarrinho de papel e fumar escondido da mãe.

E hoje as coisas tão mudadas.
A goiabeira foi trocada por jogos eletrônicos que provocam ansiedade de querer cada vez mais;

Bala juquinha não existe mais. Mas as drogas sintéticas proliferam; religião é artigo de luxo;

Cigarro de papel que nada, cocaína e o crack são os vícios da hora.

E novamente, vemos que até mesmo esses comportamentos, como as drogas e jogos eletrônicos, remetem à individualidade e solidão.

Estamos realmente na era do eu- sozinho.

Da tecnologia solitária.Dos relacionamentos virtuais, dos namoros on-line...

Vivemos enfurnados em nossas casas blindadas como nossos carros, alimentando uma fada madrinha que ao invés de sonhos e fantasias nos nutre com angústia e solidão.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

genial chagall

O estilo romântico e alegórico é típico de Marc Chagall. As suas obras são visões místicas e sonhadoras, repletas de símbolos e referências à educação judaica tradicional que Chagall recebeu na Rússia. A natureza da grande maioria das suas obras é indefenível, enigmática, remetendo para o mundo dos sonhos e do subconsciente. Tendo vivido em Paris entre 1910 e 1914, foi inicialmente inflenciado pelo Cubismo, mas manteve um estilo único, desafiando a categorização da sua obra em qualquer movimento artístico. Foi um artista incrivelmente prolífero e talentoso, produzindo vitrais, mosaicos, tapecarias e cenários, além sa sua extensa obra de pintura. Marc Chagall nasceu em Vitebsk (RUS) em 1887 e morreu em Saint Paul de Vence (FR) em 1985.










fonte:Olindo site "O Século Prodigioso Blogspot"

sábado, 5 de julho de 2008

desabafo



Você pode ir

Você pode vir

Você tem deveres

Você tem direitos

Só não pode magoar as pessoas ao seu redor

Fingir que elas não existem

não relevar seus sentimentos

Somos adultos ou não?

Não, não vou deixar para amanhã
o que posso sentir hoje

O que posso falar hoje. Não quero nunca mais engasgar.

não quero nunca mais me olhar no espelho e me envergonhar.

Porque me esforço pelos meus deveres

E tenho meus direitos

e não vou me magoar.

Prometi pra mim mesma.

Espero me honrar.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

....


Tá certo.

Sou uma dessas românticas incuráveis.

Sou capaz de ouvir Eros Ramazzotti e chorar....

Fragilzinha, fragilzinha...

quinta-feira, 3 de julho de 2008

ingrid betancourt

( essa era a imagem que todo mundo queria ver! Ingrid abraçada com a mãe)


Desde o inicio da semana que uma idéia fixa estava na minha cabeça: postar mais uma vez sobre a Ingrid Betancourt.
A imagem dela não me saia da cabeça.
Era o universo dando os sinais, mas eu nem desconfiava de nada. Ando alheia a mídia.

Estou com problemas internos, então deixo de ver os problemas externos, porque eles me deixam muito mal.

Qual não foi minha surpresa, ontem à noite, vendo a BandNews, ver a Ingrid descendo de um avião. Eu quase não acreditei.Vi a matéria 3 vezes.

Ela estava liberta, bonita e aparentemente saudável.

"De alguma maneira, pensávamos que, se houvesse um resgate, claro, corríamos o risco de morrer, mas que bom morrer tocando a liberdade com as mãos assim, que fosse por um segundo, e não morrer baleados simplesmente por uma execução da guerrilha",

Essa foi a declaração tocante dela. Tocar a liberdade por segundos...

Essa liberdade que nos custa...
A liberdade que por vezes não damos valor, mas se nos tirada, faz toda a diferença entre tê-la e não tê-la....

Agora você tem a vida inteira Ingrid, bemvinda à vida!

Você e os 15 reféns libertos.

Viva a Liberdade!

quarta-feira, 2 de julho de 2008

sobre oráculos


Estava me lembrando do quanto gosto de oráculos.

Desde pequena quando uma cartomante leu minha mão pela primeira vez.
Falou que eu ia ter muitos filhos. Infelizmente, só me lembro disso.
Anos depois, um vidente viu que eu só ia ser feliz no segundo casamento.Ia ficar viúva, ter muitos filhos.Vida longa.
Uma cigana, anos depois, mesma previsão: viuvez, pouca felicidade, muitos filhos, vida longa.

E foram tantos buzios e tarôs.

E tantos Ifás, I ching e runas.

E a vida vai passando e eu ainda preciso me lembrar que preciso olhar na janela pra ver a lua.

E a primeira estrela para fazer o meu pedido.
O pedido da minha vida.
Oráculo da minha vida.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Ou....ou


Ser ou não?

Clementine ou Penélope?

Ter ou meter?

Mentiras ou meias verdades?

Desaparecer ou sair por aí?

Amar ou viver na solidão?

Trair ou coçar?

Ipanema ou Paris?

Coca light ou Coca Zero?

Merlot ou cabernet?

Poesia ou poetrix?

Sanidade ou loucura?

Marque o x da questão.