Total de visualizações de página

terça-feira, 16 de setembro de 2008

o erotismo de drummond , bilac e castro alves

( tela de paul emile becat)

Eu adoro poesia erótica, acho lindo esse entrelaçamento entre a transgressão do sexo e a liberdade do sexo.
E até mesmo eu, já trilhei pelos caminhos do erotismo. E adorei a experiência.

É uma sedução escrever uma poesia erótica, e não fico nada admirada que Drummond  Bilac e Castro Alves também tenham sido seduzidos pelos rituais de Eros.

Porque não?

Porque não transgredir a ordem, censurar a crítica e trilhar a senda do proibido?

Fazer poesia é aventurar-se pelo mundo dos sentidos e das palavras.

A poesia de Drummond e  Bilac e Castro Alves. Indecorosas.Perversas. Eróticas. Deliciosas.


Sugar e ser sugado pelo amor


Carlos Drummond de Andrade

Sugar e ser sugado pelo amor
no mesmo instante boca milvalente
o corpo dois em um o gozo pleno
Que não pertence a mim nem te pertence
um gozo de fusão difusa transfusão
o lamber o chupar o ser chupado
no mesmo espasmo
é tudo boca boca boca boca
sessenta e nove vezes boquilíngua.


Sem que eu pedisse, fizeste-me a graça


C. D. de Andrade

Sem que eu pedisse, fizeste-me a graça
de magnificar meu membro.
Sem que eu esperasse, ficaste de joelhos
em posição devota.
O que passou não é passado morto.
Para sempre e um dia
o pênis recolhe a piedade osculante de tua boca.

Hoje não estás nem sei onde estarás,
na total impossibilidade de gesto e comunicação.
Não te vejo não te escuto não te aperto
mas tua boca está presente, adorando.

Adorando.

Nunca pensei ter entre as coxas um deus.


Delirio


Olavo Bilac

Nua, mas para o amor não cabe o pejo
Na minha a sua boca eu comprimia.
E, em frêmitos carnais, ela dizia:
Mais abaixo, meu bem, quero o teu beijo!
Na inconsciência bruta do meu desejo
Fremente, a minha boca obedecia,
E os seus seios, tão rígidos mordia,
Fazendo-a arrepiar em doce arpejo.
Em suspiros de gozos infinitos
Disse-me ela, ainda quase em grito:
Mais abaixo, meu bem! ? num frenesi.
No seu ventre pousei a minha boca,
Mais abaixo, meu bem! ? disse ela, louca,
Moralistas, perdoai! Obedeci…


Beijo Eterno

Castro alves

Diz tua boca: "Vem!"
"Inda mais!" diz a minha, a soluçar...Exclama
Todo o meu corpo que o teu corpo chama:
"Morde também!"
Ai! morde! que doce é a dor
Que me entra as carnes, e as tortura!
Beija mais! morde mais! que eu morra de ventura,
Morro por teu amor!

Ferve-me o sangue: acalma-o com teu beijo!
Beija-me assim!
O ouvido fecha ao rumor
Do mundo, e beija-me, querida!
Vive só para mim, só para a minha vida,
Só para o meu amor