Total de visualizações de página

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

certas delicadezas


E então a sensação de que as coisas estavam dando certo vão por água abaixo...
Porque sempre que alguém escreve errado no MSN a gente fica taxando mentalmente a pessoa de medíocre?
Acordei triste ...
Queria dormir até tarde mas não pude porque tinha que pintar as unhas de rosa, acordar os filhos, ir pra reunião.
Porque que seu amor hoje fingiu que não te viu, e a desculpa é que trabalha demais você vai achar que os lírios do campo não embelezam a vida?
Faz um dia lindo de inverno: Céu cinza, as folhas vagando pela rua molhada e deserta.
Mas será que tenho que abrir realmente o hotmail toda hora, atualizando de hora em vez para ver se chegou o aceite de uma editora qualquer?
E a promoção que não saiu? Culpa da inveja alheia ou da minha incapacidade de negociar as coisas?
Queria tanto negociar com a vida: Você me dá fulano e eu juro que serei uma menina boazinha até o fim dos meus dias.
Não sei se rio ou se choro quando vejo minha filha escrevendo redações e tirando 100.
Sei que não devo pensar assim.
A palavra sempre salva a minha vida.
Olhei bem minha esse final de semana e escutei suas histórias, velhas conhecidas.
Mas havia uma tristeza diferente dessa vez.Uma melancolia da velhice que me emocionou profundamente.
Olhei pra ela durante tantas horas nesses dois dias,buscava talvez, a referência da mulher forte que me criou, que me educou, que me ensinou a ouvir os outros, que me ensinou a contar histórias, que me bateu, que me acarinhou...
Mas estava lá apenas a velha anciã de 82 anos, tão frágil e solitária.
A saída de emergência me pareceu um caminho.
E se tudo não der certo, amanhã acordo de novo.
E vou acordar feliz, porque vou contar histórias pras crianças carentes lá em Japeri.
Aquelas crianças quando ouvem uma história, as estrelas parecem saltando dos olhos.
Não vou ficar triste, por sua causa, não vou.
A vida é tão bonita.
Vou tratar de aproveitar.