Total de visualizações de página

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

A Tal da Depressão

Andei desplugada estes dias...
Eu achava que tinha minha depressão sob meu controle e então nestes dias descobri que a coisa não era bem assim.
Hoje fazem 17 dias que estou em tratamento.
Estou tomando antidepressivo e passei nos primeiros dias por reações que nunca tinha sonhado na minha vida.
Foram dias muito difíceis, nebulosos, tristes, que me causaram um pavor de não acordar no outro dia.
Tremores pelo corpo, medo, dores de cabeça, confusão do pensamento .
Não saber quem é você, ou que é você, dá um pavor alucinante.
Perder 17 dias lindos de sol, porque você nem sabe se está fazendo sol.
Só pensava em fugir.
Fugir pra longe da minha cabeça que só pensava em enlouquecer.
E eu achava que estava enlouquecendo silenciosamente.
Eu não queria alertar minha velha mãe e meus filhos.
Passados 16 dias, estou melhor.
Não, não acredito que vou enlouquecer.
A reação adversa do antidepressivo é muito forte;
mas não tenho mais vontade de fugir nem de morrer.
Sinto que ainda não sou totalmente quem sou.
O canto o passarinho ainda não penetra na minha alma e me faz feliz.
O sorriso ainda é difícil. Mas mais do que nunca quero viver.
Pela primeira vez em muitos, muitos anos, não fiz planos para este 2008.
Pela primeira vez na vida, vou viver cada dia, como se fosse o único, e ao final dele vou agradecer a deus por ter sobrevivido a ele.
Estou apenas no início do tratamento, e mesmo com todas as dificuldades, reações adversas,e muito medo não vou desistir dele.
Aquela tristeza mortal que vinha sentido a graças a Deus , não sinto mais.
E isso me basta.
Vou fazer poesia, isso sim.