Total de visualizações de página

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Depois que a gente faz 45 anos, começa a perceber que a vida está  apenas começando, que a gente já  fez um monte de burrada, e que está na maior cilada acreditando que o que nunca deu certo, de uma hora pra outra vai dar.
 Peraí.
Não sou mais uma garotinha esperando o onibus pra escola, sozinha.
Sou uma mulher de 45 anos e devia ter a cabeça no lugar.
E tenho.
Quer dize, só as vezes, preferencialmente em público.
Fora disso, sou eu mesma, um ser sem idade.  Meu interior é o mesmo menino de sempre.Não me meço pelos anos que carrego na certidão de nascimento.
Me encolho e  ainda sonho uns sonhos de menina moça. Alias, isso vem me enervando ultimamente;
 Eu nuncat fui cheagada a sonhos de menina moça, e  agora,  fico tendo esses sonhos, igual obsessão... acho que estou sendo possuida igual naqueles filmes  em que é preciso chamar o padre para fazer um exorcismo.

As vezes, sinto falta de viver perigosamente. Viver perigosamente quer dizer fazer exatamente  aquilo que se quer fazer, sem prestar contas pra ninguém.
 Tenho 45 anos, mas estou travada.
Não que isso me deixe envergonhada. Quem é o(a) sortudo (a)que pode realmente   fazer aquilo que quer irresponsavelmente? sem pensar no amanha? nas consequências? nos filhos? no trabalho? na conta de luz no final do mes para pagar? no raio do empréstimo consignado  feito  pra poder viajar no final do ano?Quem  nessa vida consegue esquecer da cara do gerente do banco?
Eu deveria saber  aos 45 anos.
Deveria estar pensando  em coisas mais concretas, fazendo coisas mais concretas, investindo em mim... focando na carreira..querendo colocar prótese de silicone, fazendo dieta pra caber no manequim 36 e fingindo que ainda sou  uma jovem na academia.
 Mas é como se uma baleia enorme tivesse me devorado e eu calmamente  me acostumasse a escuridão. As vezes choro. Quero minha mãe.
 Adoro minha escuridão interna. Adoro meus dias úmidos, meu eterno estado de poesia.
Vejo a vida como a via antes de completar os tais dos enta.
Dia desses Naninha, minha amiga ha mais de vinte anos. ( eu sei é horrivel dizer issso, sim, mas eu tinha apenas dezoito anos,  quando a conheci, portanto é uma velha amiga.) me disse:- Cara, você era a mais moderninha de nós todas, ( nós todas: eu  e mais duas amigas) e agora?  e agora maria de fatima? ( é assim que ela me chama ha mais de 20 anos) Qual é a sua cara?
Humm... eu moderninha? só porque gostava do Legião Urbana? bebia todas? fumava uns? beijava todas as bocas que queria e me divertia com quem me agradasse? era morderninha porque fiquei gravida e não quis casar? era moderninha porque acampava e ficava dias fora de casa com meu indefectivel podrão  da Topper e meu shortinho da wangler comprado na Ce A?
Era moderninha porque não  sonhava filhos, nem familia e  vivia cada dia de uma vez?
ou será que eu era moderninha porque a vida  não me espantava e eu tomava gim e vodka ou invés de cuba libre?