Total de visualizações de página

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Hoje descobri uma coisa: O gari que recolhe meu lixo é  cara do Dr. House.Com olhos verdes(ou azuis) e tudo. Impressionante.
Em Salvador, o garçom que me serviu no restaurante no dia em que cheguei no hotel parecia o Jesus Luz.

Será que foi assim que a Madonna achou o Jesus dela?

Valha-me Deus!

Andei pensando sobre essa coisa de estar pronta para contar uma história. Eu escrevi um romance há dez anos atrás, mas na verdade, acho que  ele nunca fica pronto, porque  não quer dizer nada.
Esse romance, embora sua protagonista me atormente, está sempre em estado de devir.

Mas agora sinto coisas inexplicáveis, a história me bate na porta de maneira diferente. Não  são personagens que me assombram, mas uma vontade danada de contar uma história.
Será que finalmente eu estou pronta?

Ou será que essa é mais  uma ilusão passageira que vai para na pilha das ilusões de uma editora qualquer?

Me vejo tão cheia de palavras  transbordando incensamente num caos desordenado.
Não tem nada de elucidativo nesse processo. É tudo escuro,dexisplicativo, angustiante. Tenho feito  muitas anotações,  dormintando diálogos e expressões que vão surgindo ao longo do dia ou da madrugada.

Por enquanto tudo é um grande quebra cabeça que ainda me deixa dormir.