Total de visualizações de página

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Flavia vivendo em coma


Voltei a postar no mesmo dia, coisa que nesse tempo todo que tenho esse blog nunca fiz.
Mas encontrei uma coisa que relamente vale a pena
É a história da Flávia( xará da minha sobrinha que amo, Flavinha), que me comoveu aos extremos. Flavia está em coma há mais de nove anos.
Reproduzo fielmente as palavras do Blog Flavia vivendo em coma, postado pela sua mãe Odele:

"Este post contém trechos da entrevista que dei para o jornal O Diário de São Paulo, do dia 09/09/2007. A entrevista foi realizada por Isis Brum e a ênfase foi dada para o perigo dos ralos de piscinas.

“..... Flavia Souza Belo, 19 anos, sofreu parada cardiorespiratória depois de ter o cabelo preso no ralo da piscina do condomínio onde morava, em Janeiro de 1998. E quase morreu afogada por conta disso.

Acidentes do tipo podem acontecer em qualquer piscina, de qualquer condomínio, clube ou hotel. O perigo está nos detalhes que envolvem a instalação do ralo. Se não forem colocadas corretamente, essas peças podem funcionar como ferramentas assassinas escondidas embaixo d’água. As meninas são as principais vítimas, por terem o cabelo comprido. Os fios se enroscam e não soltam, mesmo que o motor seja desligado.

“NÃO FOI FATALIDADE, FOI NEGLIGÊNCIA".
Desde o acidente com a filha Flavia, Odele Souza enfrenta uma batalha judicial, para receber, na Justiça, uma indenização pelo acidente que, na opinião dela, poderia ter sido evitado.”Não foi fatalidade, foi negligência”. Ela processou o condomínio e o fabricante do ralo.

Segundo a mãe de Flavia, o ralo da piscina foi trocado por outro mais potente para que os moradores tivessem a água aquecida.”Não houve nenhuma consulta técnica para fazer a mudança”, diz. Para ela os ralos deveriam ter sua venda restrita, devido aos riscos que podem apresentar.

A mãe de Flavia criou um blog na Internet. (menciona o endereço deste blog) Nele Odele lista os casos semelhantes ao de sua filha, divulgados pela imprensa.”Esses acidentes são mais comuns do que se imagina”, explica ela.

Casos no exterior
Neste ano houve dois registros semelhantes no exterior. Nos EUA uma menina de seis anos teve parte dos intestinos sugados e sobreviveu com seqüelas. Na Rússia um adolescente de 14 anos morreu.

Memória

Duas morreram em Motel de Pinheiros.

Em 2005, a dona-de-casa Lucimeire Pereira dos Santos, de 29 anos, foi com o namorado ao Motel Astúrias, em Pinheiros. Seu cabelo ficou preso no ralo da piscina de uma suíte. Ela teve parada cardíaca e morreu. Quatro anos antes, uma garota de programa morreu após ter os cabelos presos no ralo de uma piscina do mesmo motel. Funcionários até cortaram seu cabelo com uma faca, mas não conseguiram salvá-la.”

*** FIM DA REPORTAGEM * **

O que é preciso e urgente, é que acidentes deste tipo causados por ralos de piscinas funcionando de forma inadequada, não continuam a fazer vítimas. E em acontecendo que os responsáveis, sejam, também com urgência, severamente punidos. Isto, todos sabemos, não depende só da atuação de um brilhante advogado, depende da atuação dos juizes.


Estamos no ano 2000 e a dois anos do acidente. Flavia acabou de completar doze anos. Continua a ser cuidada pelo Home Care e seu estado de saúde, bastante delicado, requer atenção 24 horas. Nenhuma melhora neurológica ocorreu, mas existia ainda em mim a esperança de que ela se recuperasse, embora o diagnóstico médico dissesse: Coma Vigil irreversível. Mas eu teimava em esperar que Flavia recuperasse a consciência. No dia 06 de Janeiro de 2000, escrevi para ela este texto, que lia e relia ao lado de sua cama, na esperança quase insana, de que minhas palavras trouxessem minha filha de volta.
ACORDE....

Flavia, acorde Princesa,
O ano 2000 já chegou, e você nem notou,
Ausente que está nesse sono tão longo...
Já faz hoje dois anos...acorde, vem cá...
Sinto falta de ouvir pela casa seus passos,
E me angustia não mais receber seus abraços.
Vem filha, me explicar o que eu não entendo,
- POR QUE COM VOCÊ?!
Nessa sua viagem de sonho, você já deve ter
Se encontrado com Deus e com os anjos.
Eles já lhe disseram filha, POR QUE??
Por favor acorde e me diga, eu preciso entender..
Disseram querida, que sofrendo eu vou aprender,
Mas como posso aprender a ficar sem você?!
Como pode Princesa, alguém aprender pela dor?
Até onde sei, o AMOR é que deveria ensinar...
Eu te amo filha, por favor, use este amor
Para achar seu caminho de volta.
Siga meu amor como uma luz
Para você aprender a voltar
E eu estarei aqui filha, todos os dias
A te esperar, a te esperar, a te esperar....

Odele Souza
06 de janeiro de 2000.

Posted by Odele Souza at 11:26


Gente, o caso está até hoje na justiça, é uma vergonha isso!Sinto muito pela Flávia estar passando por isso. Sua jovem vida sendo ceifada numa cama de hospital pela negligência de determinadas pessoas.
Só resta nos unir, divulgar a causa de Odele que nada mais é que JUSTIÇA!
Os culpados NÂO PODEM permanecer impunes, como se nada tivesse acontecido.Não vamos deixar esse caso ser mais um nas estatisticas.

E, a você Odele, um abraço do fundo do meu coração materno,e se sinta protegida pelo coração de Jesus.
E você Flavinha, acorda princesa, escuta, volta pro amor da sua mãe...