Total de visualizações de página

domingo, 2 de março de 2008

Juca Mulato

Então resolvi colocar a leitura em dia, já estou de licença médica até maio por conta da depressão.

Agora, descanso.
Tentando organizar minha alma e minha mente.
Livrando-me das tranqueiras diárias que nos fazem fechar as janelas e não querer ver mais o por do sol.
Para me sentir mais normal, me arrisco nos noticiários televisivos, nas leituras quase diárias dos jornais, e sinto tantas emoções estranhas. Pouquíssima são positivas. A maioria são de indignação, muita indignação.
Rezo muito pedindo a deus que eu não termine meus dias ansiosa pelo final da novela mexicana do SBT.
Mas como dizia, tenho colocado a leitura em dia. leio e releio.
Relendo, abri Juca Mulato de Menotti del Picchia, um livro antigo que comprei naqueles sebo Praça Tiradentes há muitos anos.
As páginas lindamente amareladas e corroídas pelas traças antigas como o próprio tempo fazem por si, do livro, um poema.
A introdução é do Julio Dantas, a edição é da Paulista Martins, 1965.

Nesta edição tem ainda: Máscaras, A Angústia de D. João e o Amor de Dulcinéia.

Não resisti a esse belissimo trecho do capitulo Lamentações

"Amor?
receios, desejos,
promessas de paraísos,
depois sonhos, depois risos,
Depois beijos!

Depois...
E depois amada?
Depois dores sem remédo.
depois pranto,depois tédio,
depois...nada!"